• Clínica de Odontologia Digital em São Paulo - Clínica Aggio

Dentes do Siso ou 3º molar: 4 fatos que você precisa saber

  • Home
  • Blog
  • Dentes do Siso ou 3º molar: 4 fatos que você precisa saber

Dentes do Siso ou 3º molar: 4 fatos que você precisa saber

Dentes do Siso ou 3º molar: 4 fatos que você precisa saber

Dentes do siso ou 3o molar, são os últimos dentes da boca eles vem depois dos 1o e 2o molares e por terem um diâmetro maior eles servem para auxiliar na trituração dos alimentos. O homem pré-histórico possuía uma dieta de carne crua e plantas e era preciso que esses alimentos fossem bem fragmentados e a presença do 3o molar auxiliava nesse processo e consequentemente na digestão. Já no homem moderno, com o refinamento dos alimentos, a trituração da comida feita pelos molares passou a ter uma menor demanda e a seleção natural entendeu essa mudança e começaram a surgir indivíduos que não possuíam mais o 3o molar.

O nome dente siso vem do termo dentes do juízo, como são os últimos elementos dentários a erupcionar por volta dos 17 até os 25 anos, nessa idade também as pessoas ficam mais maduras, adquirem “juízo” daí o termo, dentes que aparecem quando a pessoa desenvolve o juízo. No Nordeste do Brasil os 3o molares também são chamados de “dente queiro”.

Nem todo mundo vai nascer com os dentes do siso, 9 entre cada 10 pessoas possui pelo menos um dente siso. Outras pessoas não possuem nenhum, isto por causa da evolução natural, como são dentes que estão perdendo a função a tendência dele é desaparecer nas próximas gerações. Mas claro existem pessoas que possuem 1 siso ou ate mesmo os 4. E o que fazer nessas situações?


1 – Quando preciso remover os Dentes do siso?

Existem duas situações para o siso: ou você precisa remover ou ele poderá ficar na sua boca. Quem irá definir isso é o cirurgião dentista após avaliação clínica, radiográfica e ate mesmo com tomografias. Claro que o profissional se baseia em alguns critérios para tomada de decisão e será o que vamos relatar agora. Lembrando que a intenção aqui é de orientação para que você entenda o que se passa na sua boca e procure um profissional para que ele te direcione como melhor proceder.

 Nos casos em que os sisos nascem completamente, estão em função na mastigação, não doem, estão livres de cárie ou problemas de gengiva, permite que sejam bem escovados, não estão interferindo nos dentes vizinhos. Pode-se pensar na possibilidade de permanência na boca, mas com uma ressalva, de que sejam acompanhados regularmente por um profissional para monitoramento se não vai cariar, desenvolver alguma lesão ou ate mesmo prejudicar o dente vizinho. Somente dessa forma é que é permitido que um siso permaneça na boca.

Agora existem situações em que o dente pode cariar ou estar cariado e a sua localização não permitir realizar uma boa restauração. Ou ate mesmo nos casos em que a cárie se aprofunda e já se faz necessário um tratamento de canal e também devido a localização não é possível executar um bom tratamento de canal, devido ser muito no fundo da boca. Nestes casos e remoção do dente está indicada.

Na ocorrência de inflamação e infecção da gengiva em volta do dente, onde esta região fica inchada, vermelha, a pessoa apresenta dificuldade de abrir a boca e poderá formar pus, são casos agudos e de muita dor. O recomendado é que primeiro debele o quadro infeccioso antes que ele se complique e somente depois poderá partir para a remoção dos sisos.

Dentes sisos que estão impactados geralmente estão apoiados e encostando nos dentes do lado e essa permanência poderá afetar os dentes vizinhos causando reabsorção desses e até mesmo cárie. Quando a conservação do siso compromete a permanência de um outro dente que está em função o indicado e a remoção do 3o molar.

Há ainda os casos dos sisos que nem chegam a nascer e ficam alojados dentro da mandíbula, quando isso ocorre há o risco de formação de cistos e tumores na região que podem crescer tomar toda a mandíbula deixando-a fragilizada correndo ate mesmo o risco de fratura. Nessas situações são mais do que indicadas a remoção do siso.


2 – Com qual idade devemos remover os sisos?

A Associação Americana de Odontologia recomenda que as pessoas sejam submetidas a avaliação do siso antes dos 20 anos. Com ela é possível determinar se os sisos nascerão bem ou se há o risco de impactação. Caso seja detectado que os sisos não irão nascer em uma posição favorável já é indicado a sua remoção. Isso porque as raízes ainda estão em formação e os dentes são mais simples de serem removidos, podendo em um único procedimento remover os 4 dentes. Como a cirurgia é menos traumática o pós-operatório é muito mais tranquilo e o procedimento cirúrgico para o paciente também.

Agora você deve estar se perguntando, mas já passei e muito dos 20 anos, o que eu vou fazer? Bem, se você caiu em uma das situações já citadas de indicação de remoção de siso, você terá que remover. Talvez o desconforto pós-operatório seja um pouco maior, mas os benefícios de preservação do dente vizinho, dor de dente, dor na gengiva, fratura de mandíbula são muitos maiores do que deixar o dente na boca.


3 – Como é a cirurgia de extração dos sisos?

 O procedimento é ambulatorial, isto é, pode ser feito no consultório odontológico, a anestesia é local e pessoa fica acordada. Somente em situações muito especificas como doenças graves no paciente ou na presença de grandes tumores ou cistos é que é recomendado fazer em ambiente hospitalar.

 A odontologia vem se modernizando ao longo do tempo e para as cirurgias dos sisos também não e diferente. Atualmente as técnicas aplicadas para a remoção do dente são mais atraumáticas causando um pós-operatório mais confortável para o paciente já e possível fazer a técnica com mais delicadeza.

Antigamente eram utilizados cinzeis e “martelinhos” que davam pancadas na boca para remover o osso em volta do dente e assim facilitar a sua remoção. Não preciso nem dizer o quanto isso era desconfortável para o paciente durante o procedimento, sem falar que o pós-operatório, devido a esse trauma, era muito mais dolorido. A boa noticia é que a odontologia não usa mais esse recurso. Brocas são utilizadas para partir o dente ao meio e facilitar a saída, como também elas servem para desgastar o osso ao redor do dente para ele soltar mais rápido.

Com essa facilidade na técnica é possível, em algumas situações, remover todos dos sisos de uma vez proporcionando um único tempo cirúrgico e um pós-operatório o que torna a vida da pessoa muito mais prática.


4 – Quais os riscos da cirurgia de extração dos sisos?

Os riscos são os mesmos para todas cirurgias. Se o paciente tem algum problema grave de saúde isso será abordado durante a anamnese e todo um preparo pré-operatório é feito nesses casos. Com as técnicas menos traumáticas dos tecidos o risco de hemorragia é diminuído, técnicas e fios de sutura mais modernos também são utilizados para dar mais segurança no procedimento. O inchaço e dor podem ocorrer, mas são muito bem controlados com as atuais medicações utilizadas. Geralmente para remoção dos sisos é administrada medicação pré-operatória para minimizar a dor. O controle é tão bem feito que para muitos pacientes não há relato de dor e com pós-operatório tranquilo.

Uma complicação que também pode aparecer é a parestesia, mais comum quando são removidos os dentes inferiores. A parestesia dá uma sensação de dormência constante na região, é como se ela estivesse anestesiada o tempo todo do lado afetado. Para ela quando ocorre o indicado é o tratamento precoce com medicação e laser, na maioria dos casos a situação é revertida.


Texto escrito pela Doutora em Odontologia Nicole Nogueira.


Não deixe de acompanhar as novidades no site da Clínica Aggio, e marque a sua consulta caso seja necessário. Siga-nos também no instagram.

© Copyright 2024. DIVIA Marketing Digital. Todos os Direitos Reservados

Agência de Marketing Digital
Clique para Ligar
Fale por WhatsApp
Ligue e Agende
Agende pelo WhatsApp