• Clínica de Odontologia Digital em São Paulo - Clínica Aggio

Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial

2
4
1
3
6
5

Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial

O que é Cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial?

Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial é uma especialidade da odontologia que se dedica ao diagnóstico, tratamento e prevenção de condições relacionadas à região bucal, facial e estruturas adjacentes. Ela envolve a realização de procedimentos cirúrgicos tanto de natureza reparadora quanto estética.



Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial

Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial

Os cirurgiões bucomaxilofaciais são profissionais de saúde qualificados que possuem formação em odontologia e, posteriormente, realizam uma especialização em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial. Essa especialidade abrange um amplo espectro de condições, incluindo:


1. Cirurgia Ortognática: Trata-se de procedimentos cirúrgicos que visam corrigir deformidades e irregularidades na estrutura óssea da face e da mandíbula. É utilizada para corrigir problemas como mordida cruzada, prognatismo, adicionais. O e assimetrias faciais.

2. Cirurgia de Implantes Dentários: Os cirurgiões bucomaxilofaciais são responsáveis pela instalação de implantes dentários, que são estruturas de titânio inseridas no osso maxilar ou mandibular para substituir dentes perdidos. Esses implantes fornecem uma base estável para a colocação de próteses dentárias.

3. Cirurgia de Reconstrução Óssea e Tecidual: Em casos de perda óssea ou de tecidos na região bucomaxilofacial devido a traumas, doenças ou defeitos congênitos, os cirurgiões bucomaxilofaciais podem realizar procedimentos de enxerto ósseo, enxerto de tecido mole ou uso de materiais de regeneração óssea para restaurar a forma e função.

4. Cirurgia Ortodôntica: Em colaboração com ortodontistas, os cirurgiões bucomaxilofaciais podem realizar cirurgias para corrigir problemas dentários e esqueléticos, especialmente quando esses problemas não podem ser resolvidos apenas com o uso de aparelhos ortodônticos.

5. Cirurgia de Trauma Facial: Os cirurgiões bucomaxilofaciais estão preparados para lidar com traumas faciais, como fraturas de ossos faciais, lesões dentárias e ferimentos na região bucal. Eles são treinados para realizar o diagnóstico adequado e a intervenção cirúrgica necessária para reparar os danos causados pelo trauma.

Esses são apenas alguns exemplos de procedimentos realizados pelos cirurgiões bucomaxilofaciais. Eles desempenham um papel importante no tratamento de diversas condições que afetam a saúde, função e estética da região bucal e facial.

O que faz um cirurgião bucomaxilofacial?

Um cirurgião bucomaxilofacial é um profissional da área médica especializado no diagnóstico e tratamento de condições que afetam a região da boca, face, crânio e pescoço.

Eles são cirurgiões dentistas que passam por um treinamento adicional para adquirir habilidades cirúrgicas avançadas nessa área. As principais responsabilidades de um cirurgião bucomaxilofacial incluem:

1. Cirurgia ortognática: Correção de deformidades faciais e desalinhamentos dentários graves, como desequilíbrios mandibulares, maxilares muito proeminentes ou recuados, que podem afetar a mordida e a aparência facial.

2. Cirurgia de trauma facial: Tratamento de lesões e fraturas na face, mandíbula, maxila e outras estruturas craniofaciais resultantes de acidentes, quedas, agressões ou outros tipos de traumas.

3. Cirurgia de implantes dentários: Inserção de implantes dentários para substituir dentes perdidos ou danificados. O cirurgião bucomaxilofacial é especializado na colocação estratégica desses implantes para garantir a estabilidade e função adequadas.

4. Extração de dentes inclusos: Remoção de dentes do siso (terceiros molares) ou outros dentes que estejam impactados ou não tenham espaço suficiente para equacionar corretamente.

5. Tratamento de lesões e doenças da cavidade oral: Diagnóstico e tratamento de lesões cancerígenas ou pé-cancerígenas da boca, língua, gengivas, palato e outras estruturas orais. Isso pode envolver a remoção de tumores, reconstrução da mandíbula ou maxila e a coordenação de cuidados com outros especialistas.

6. Reconstrução facial: Restauração da estrutura facial e da função oral após cirurgias de remoção de tumores, deformidades congênitas ou traumas significativos. Além disso, os cirurgiões bucomaxilofaciais podem tratar uma variedade de outras condições, como distúrbios da articulação temporomandibular (ATM), apneia do sono, deformidades craniofaciais congênitas, infecções orais e problemas de crescimento facial.

É importante ressaltar que os cirurgiões bucomaxilofaciais trabalham em estreita colaboração com outros profissionais de saúde, como ortodontistas, otorrinolaringologistas, radiologistas, oncologistas, entre outros, para fornecer um tratamento abrangente e multidisciplinar aos pacientes.

Tipos de tratamentos realizados pelo cirurgião bucomaxilofacial:

O cirurgião bucomaxilofacial é um especialista que trata de diversas condições relacionadas à região bucal, da face e do crânio.

Eles possuem conhecimentos tanto em odontologia quanto em medicina, o que lhes permite realizar uma ampla variedade de tratamentos. Alguns dos tratamentos comuns realizados por cirurgiões bucomaxilofaciais incluem:

1. Extração de dentes impactados: Os cirurgiões bucomaxilofaciais são especializados em extrair dentes impactados, como os dentes do siso, que não conseguem emergir corretamente na cavidade oral. Essa extração pode envolver a remoção cirúrgica do dente, se necessário.

2. Implantes dentários: Os implantes dentários são substitutos de raízes de dentes ausentes que são inseridos no osso maxilar ou mandibular. Os cirurgiões bucomaxilofaciais podem realizar a cirurgia de implante para fixar essas estruturas no osso, fornecendo uma base sólida para a colocação de dentes artificiais.

3. Cirurgia ortognática: A cirurgia ortognática é realizada para corrigir irregularidades na estrutura óssea da face e da mandíbula. Essas irregularidades podem causar problemas de mordida, apneia do sono, assimetria facial e dificuldades de fala. Os cirurgiões bucomaxilofaciais podem reposicionar os ossos da face e da mandíbula por meio de procedimentos cirúrgicos.

4. Reconstrução facial: Em casos de trauma facial, tumores ou anomalias congênitas, os cirurgiões bucomaxilofaciais podem realizar procedimentos de reconstrução facial. Isso envolve a restauração da estrutura facial, utilizando técnicas de enxerto ósseo, tecido mole e cirurgia reconstrutiva.

 5. Tratamento de desordens da articulação temporomandibular (ATM): A ATM é a articulação que conecta a mandíbula ao crânio. Desordens nessa articulação podem causar dor, estalos, dificuldade de abrir ou fechar a boca, entre outros sintomas. Os cirurgiões bucomaxilofaciais podem oferecer tratamentos para aliviar esses problemas, como terapia conservadora, injeções, cirurgia minimamente invasiva ou cirurgia reconstrutiva.

Além desses tratamentos, os cirurgiões bucomaxilofaciais também estão envolvidos em procedimentos como cirurgia de cisto e tumor ósseo, cirurgia de fissuras labiopalatais, cirurgia de trauma facial e correção de deformidades faciais.

 É importante ressaltar que a disponibilidade de tratamentos específicos pode variar de acordo com a formação, experiência e especialização de cada cirurgião bucomaxilofacial. Principais dúvidas sobre cirurgia bucomaxilofacial.


Porque extrair o dente do siso?

A extração do dente do siso é um procedimento odontológico bastante comum. Existem várias razões pelas quais um dentista pode recomendar a extração dos dentes do siso. Aqui estão algumas das principais razões:

1. Falta de espaço na boca: A maioria das pessoas não tem espaço suficiente em suas bocas para acomodar os dentes do siso. Como os sisos são os últimos dentes permanentes a surgir, muitas vezes não há espaço adequado para que eles relacionem corretamente. Isso pode levar a problemas de alinhamento dos dentes, dor e desconforto.

2. Impactação: A impactação ocorre quando um dente do siso não consegue emergir completamente através da gengiva ou fica preso parcialmente. Isso pode levar à formação de um saco cheio de fluido ao redor do dente impactado, chamado de cisto. Além disso, a impactação pode causar dor, inflamação e infecção.

3. Riscos para a saúde bucal: Os dentes do siso são mais difíceis de alcançar e limpar corretamente devido à sua posição no fundo da boca. Isso pode aumentar o risco de cáries, gengivite, periodontite e outros problemas de saúde bucal. A extração dos dentes do siso pode ajudar a prevenir essas complicações.

4. Deslocamento dos dentes adjacentes: Quando os dentes do siso não têm espaço suficiente para equacionar adequadamente, eles podem exercer pressão sobre os dentes adjacentes. Isso pode levar ao desalinhamento dos dentes, causando problemas de oclusão (mordida) e necessitando de tratamento ortodôntico.

5. Procedimentos dentários futuros: A extração dos dentes do siso pode ser recomendada antes de realizar outros tratamentos odontológicos, como a colocação de aparelhos ortodônticos. A remoção dos sisos pode ajudar a criar espaço adequado na boca para acomodar os dentes em uma posição correta.

É importante consultar um dentista para avaliar a necessidade de extração dos dentes do siso. O profissional realizará exames clínicos e radiográficos para determinar a melhor abordagem para o seu caso específico.

Como é realizada a extração do dente do siso? A extração do dente do siso, também conhecido como terceiro molar, é um procedimento cirúrgico comum realizado por dentistas ou cirurgiões dentistas.

Vou descrever o processo geral, mas é importante ressaltar que cada caso pode ser único, e o procedimento pode variar dependendo da complexidade da extração e das preferências do profissional.

1. Anestesia: Antes de iniciar a extração, o dentista irá administrar anestesia local para adormecer a área ao redor do dente do siso. Em alguns casos, pode ser usada anestesia geral, especialmente se forem extraídos múltiplos sisos ou se a cirurgia for mais complexa.

2. Incisão: Uma vez que a área está anestesiada, o dentista fará uma pequena incisão na gengiva, expondo o dente do siso e a estrutura óssea ao redor.

3. Remoção do osso: Em alguns casos, pode ser necessário remover um pouco de osso para facilitar o acesso ao dente do siso. O dentista usará instrumentos cirúrgicos adequados para remover o osso e obter uma melhor visão do dente.

4. Extração do dente: O dentista usará instrumentos especiais, como alavancas e fórceps, para soltar e remover o dente do siso. Em alguns casos, o dente pode precisar ser dividido em seções menores para facilitar sua extração.

5. Limpeza e sutura: Após a remoção do dente, o dentista irá limpar cuidadosamente a área e remover quaisquer resíduos ou fragmentos do dente. Em seguida, pode ser necessário realizar pontos de sutura para fechar a incisão na gengiva.

6. Recuperação: O tempo de recuperação pode variar de pessoa para pessoa. O dentista fornecerá instruções específicas sobre cuidados pós-operatórios, como a aplicação de gelo para reduzir o inchaço, evitar alimentos duros ou quentes nos primeiros dias, fazer bochechos com solução antisséptica e tomar analgésicos prescritos para aliviar a dor, se necessário.

É importante seguir todas as instruções do dentista e informar qualquer problema ou complicações que possam surgir durante o processo de recuperação.

O que é cirurgia ortognática?

A cirurgia ortognática é um procedimento cirúrgico que visa corrigir malformações faciais e dentárias, proporcionando uma melhor função e estética facial.

Essa cirurgia é geralmente realizada por um cirurgião recuperação. O em colaboração com um ortodontista. A cirurgia ortognática é indicada para pacientes que apresentam problemas no alinhamento dos ossos maxilares, como mandíbula desalinhada, maxila projetada para frente ou para trás, mordida aberta, mordida cruzada ou assimetria facial significativa.

Esses problemas podem causar dificuldades na mastigação, fala, respiração e até mesmo problemas psicossociais devido à aparência facial alterada.

O procedimento envolve o reposicionamento dos ossos maxilares através de incisões realizadas na boca, de modo a corrigir o alinhamento e obter uma oclusão adequada dos dentes. Após a cirurgia, é comum que o paciente utilize elásticos ou aparelhos ortodônticos para auxiliar na recuperação e garantir um resultado final estável e equilibrado.

A cirurgia ortognática é um procedimento complexo que requer uma cuidadosa avaliação e planejamento pré-operatório. Geralmente, é realizado em pacientes que atingiram o crescimento facial completo, o que normalmente ocorre por volta dos 18 anos de idade.

O tempo de recuperação pode variar de acordo com o caso e a complexidade da cirurgia, mas geralmente envolve um período de repouso, dieta líquida ou macia por algumas semanas e acompanhamento pós-operatório regular.

É importante ressaltar que a cirurgia ortognática é uma opção de tratamento para casos específicos e que cada caso deve ser avaliado individualmente por profissionais qualificados para determinar a necessidade e a viabilidade desse tipo de procedimento.

Quando é indicada uma cirurgia ortognática? A cirurgia ortognática é indicada para o tratamento de problemas relacionados à estrutura óssea da face, principalmente aqueles que afetam o alinhamento dos maxilares superior e inferior.

Esses problemas podem resultar em má oclusão dentária, assimetria facial, dificuldades na fala, problemas respiratórios e distúrbios da articulação temporomandibular (ATM). Alguns dos problemas específicos que podem ser tratados com a cirurgia ortognática incluem:

1. Mordida aberta: uma condição em que os dentes superiores e inferiores não se encontram corretamente quando a boca está fechada.

2. Mordida cruzada: ocorre quando a arcada dentária superior se encaixa por dentro da arcada dentária inferior, ao invés de se posicionar corretamente por cima dela.

3. recuperação. O mandibular (queixo retraído): a mandíbula inferior é posicionada atrás do que seria considerado uma posição normal, o que pode afetar a estética facial e a função mastigatória.

4. Prognatismo mandibular (queixo projetado): a mandíbula inferior é projetada para frente, o que pode resultar em um perfil facial proeminente e problemas de oclusão dentária.

5. Assimetria facial significativa: quando há uma diferença notável no tamanho ou posição dos lados direito e esquerdo da face. Antes de recomendar a cirurgia ortognática, o ortodontista e o cirurgião recuperação. O geralmente trabalham em conjunto para avaliar a condição do paciente e determinar se a cirurgia é a melhor opção de tratamento.

Eles consideram fatores como a gravidade do problema, a saúde geral do paciente, a maturidade óssea e a capacidade de colaboração do paciente durante o tratamento. É importante destacar que cada caso é único, e apenas um profissional de saúde qualificado pode avaliar e determinar se a cirurgia ortognática é indicada para um indivíduo específico.

Clínica Aggio - Clínica Odontológica Digital em Moema

Buscando serviços de qualidade e segurança para seus dentes?

Na Clínica Aggio você garante o melhor para o seu sorriso.

Agendar Consulta

© Copyright 2024. DIVIA Marketing Digital. Todos os Direitos Reservados

Agência de Marketing Digital
Ligue e Agende
Agende via WhatsApp